Em clima de copa e de samba

junho 12, 2014 Projeto Escuta o Cheiro Uncategorized 0 comments

Salve, salve!
Todo mundo em clima de copa do mundo? A gente por aqui já está, espalhamos as bandeiras pelo quintal prontos para fazer a nossa festa!Hoje é estréia, dia de ficar na frente da tv de verde e amarelo, sem esquecer dos problemas todos, é claro, mas torcendo para o osso país sim. Porque não né?

Mas esse domingo é dia de samba, de ziriguidum e telecoteco. De ver a moça bonita dançar, de dividir o copo com os amigos… é dia de Escuta o Cheiro!

Convidada da Cozinha

Quem é das antigas aqui no nosso quintal lembra-se bem da Stella, figura cativa que cuidava do nosso caixa no começo. Depois virou frequentadora do samba e agora veio ajudar na cozinha, olha que maravilha.
A gente fez uma mini entrevista cm ela aqui pro blog, olha que pessoa incrível a Stella é:

Nome: Stella Regina Teixeira

Apelido:Meu avô me chamava de tatu, minha avó de Lú, minha tia de filhota e meu padrinho de beicinho, mas Stelinha é o que ficou.

Idade: 4.9 i.e

Profissão: Servidora Pública de profissão, cantora por vocação, e dançarina por intuição

Signo: O mais lindo do zodíaco (câncer)

Time do coração: Meu coração é meu. (Ponte, Flamengo, São Paulo) kkkkk cabem todos com muito amor!!

Música preferida:
A que tocar minha alma

Maior sonho:
tudo o que eu puder realizar, isso inclui um cruzeiro de 90m dias por mares…e mares…e mares.

Cozinha desde que idade e com quem aprendeu: Com dez, onze anos já me aventurava na cozinha, aprendi observando minha mãe, minhas tias, família grande a cada domingo uma festa, todo mundo falando ao mesmo tempo, cozinha cheia com duas opções, fogão a lenha ou a gás.

Uma experiência na cozinha: Na casa de Dona Benedita não podia faltar sardinha, ou outro peixe, e como morávamos na rua Joaquim de Paula Souza aqui em Campinas, Jardim Proença (quem conhece sabe que é a rua da feira) aprendi a limpar peixe desde pequena, e como a família era grande, não falo de limpar um ou dois kg, mas uma bacia (na década de 70 usava-se muito nas cozinhas bacias de alumínio), com mais ou menos 4,5kg à 5,00 de peixe, outro fato comum na época era matar frango aos domingos, mas nunca precisei (graças a Deus) acho que morreria antes do frango, mas me lembro de brincar com um deles já morto, depenado, como se fosse uma boneca (kkkkkk trash), depois que se mata o frango e tira as penas, é comum acender o fogo e passar a ave rapidamente sobre o o fogo para queimar pequenas penugens, o que acaba por aquecer brevemente a ave e nesse momento eu o carregava no colo talvez como uma forma de me desculpar kkkkk inacreditável. Mas também me lembro de um acidente ocorrido com esta pretensa cozinheira, estava eu fritando um ovo, e havia bastante óleo na frigideira (mais do que o necessário), o modelo da frigideira tinha um furo no cabo, óleo quente, a escumadeira com a ponta envergada minha habilidade foi tamanha, consegui encaixar as duas extremidades e virei sobre minhas pernas nuas (estava de short), a dor horrível foi aliviada pois minha tia Ozélia (a que me chamava de filhota) trabalhava em um consultório médico, e de imediato abriu a geladeira e pegou todos os tomates que encontrou, fatiou rapidamente e aplicou sobre a queimadura, confesso que não conheço as propriedades curativas do tomate, e sinceramente espero que não aconteça com mais ninguém, mas sendo necessário!!!! Obs: Não tenho nenhuma cicatriz ou marca nas pernas.

O que você mais gosta no samba: O próprio samba. Amo a música em geral, meu pai Otávio foi diretor de uma extinta escola de samba (eu era bebê, não me pergunte o nome da tal), minha mãe foi cantora, interrompendo a carreira após o falecimento precoce de meu irmão mais velho, dois de meus tios eram músicos (um de orquestra Joel, e outro tocava na rádio Lázaro), e meus avós cantarolavam o dia todo, desde pequena aprendi a ouvir de tudo, músicos da minha época como (jovem guarda), e os mais experientes e consagrados (Maísa, Marisa gata mansa, zimbo trio, Miltinho, Taiguara, Altemar Dutra, Claudete Soares, Elizete Cardoso… e tome baile)

Prato preferido: Como neta de Benedita tudo o que tiver peixe e frutos do mar.

E a Stella vai preparar não um, mas DOIS pratos no domingo!

Receita 1: Caldinho de Mocotó

Ingredientes:
Um mocotó (perna do boi), limpa e serrada, água o quanto baste, para panela de pressão.

Molho:
3 colheres de sopa de azeite
400g de linguiça calabresa
200g bacon
2 sachês de molho de tomate pronto
uma xícara de chá de tempero verde ( salsa, coentro, cebolinha)
uma colher de chá de tempero caseiro (opcional)
um cubo/sachê de tempero pronto (carne)
sal e pimenta calabresa a gosto
OBS: o tempero caseiro que uso já contém alho, se optar por fazer o tempero no momento do preparo adicionar 4 dentes de alho bem picadinho e meia cebola ralada.

Modo de preparo:

Cozinhe o mocotó somente em água de 25 a 30min, retire do fogo, deixe esfriar, corte em pedacinhos pequenos ou (se preferir passe pelo processador), Como se trata de uma cartilagem, ela se solta do osso durante o cozimento, prepare o molho refogando no azeite a calabresa e o bacon e os demais ingredientes; Alho, cebola, tempero caseiro e o pronto, sal, pimenta, molho de tomate, 3 copos de (requeijão) com água, acrescente o mocotó picado (processado), deixe ferver de 15 à 20min apague o fogo e acrescente o tempero verde (salsa,coentro,cebolinha).
Pode ser servido com croutons, arroz branco, ou puro.

Rendimento 10 porções.


Receita 2:  Angú do Gomes

Ingredientes para o angú:
3 colheres de azeite,
20 colheres de sopa de fubá bem cheia,
um sachê de tempero pronto de legumes,
água o quanto baste para dissolver.

Ingredientes para a carne:
1 ½ de acem ou paleta bovina,
sal e pimenta do reino a gosto,
alho, cebola, cheiro verde.

Modo de preparo do angú:
Dissolva o fubá e o tempero pronto em água fria, e despeje em uma panela grande com o azeite, acrescente ½ litro de água mexendo sempre para não empelotar, por se tratar de uma versão bem cremosa mantenha sempre a mão uma jarra com água para acrescentar durante todo o processo, a textura do angú deve ser bem mole, mas não caudalosa (como sopa de fubá).

Modo de preparo da carne:
A parte em uma panela de pressão, doure a carne após temperá-la a gosto lembrando de dosar o sal pois a polenta já tem tempero, coloque água até cobri-la, deixe na pressão por 20min. após o cozimento, fatie uma cebola média, 2 dentes de alho e coloque sobre a carne, se está estiver sem água do cozimento acrescente mais 2 copos americanos, mexa para misturar os temperos e também para desfiá-la ainda na panela, mantenha o fogo baixo, acerte o sal se necessário.

Sirva uma concha generosa de angu com a carne por cima arrematando com o cheiro verde.

Abra uma bebida de sua preferência, chame os amigos e seja feliz.

A gente te vê domingo por aqui né?

Domingo, 15 de Junho
Das 12h00 as 18h00
Entrada: R$15,00 (comidas e bebidas cobradas a parte)
Pagamento em dinheiro ou cheque

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *