nov
25

Mizinfí troxe Fubá?
Café pro vovô toma?
Fez entrega pra Xangô
No pé do Jacarandá?

Se Sim, pode preguntá

A nega, Zinfi num sabe
Pru que com suncê num que se deitá
É que ela sabe da outra moça
Que Minzinfi foi namorá

No trabaio tá perdido
Já não sabe o que fazê
Quer saber pruque o patrão
Desce o reio em suncê?

Vô vai contá
Pra zinfi entendê
O Patrão tá com medo
De perde o lugar pro cê

Se a pregunta é de saúde
O Vô também vai respondê
Cuida bem do coração
Pro resto num padecê

E pra firmá proteção
Faz banho de guiné e alecrim
Pedindo pra São Gerônimo
São Jorge e São Joaquim
Pra acompanhá Mizinfi
Até o mundo tê fim

por Thiago de Souza.

agora mais fotos da última edição que só deu Mangueira!
Jamela: bem que ele podia ter estado aqui ouvindo tudo!

Convidamos o Vilas Boas que faz samba pro Chico da Mangueira

Também convidamos o Bal que canta forte do Bar Mangueira

Seu Nelson da Mangueira dando o tom Mangueira



rapaziada Mangueira de Sampa

flores espertinhas pra mulherada

inté dia 20! Se Deus quiser!
0
nov
18
Veja só quanta alegria! Não há como não ser redundante, foi mais uma vez um domingo pra lá de especial!
Queremos agradecer aos amigos de peso que foram em peso, ao Seu Nelson, Vilas Boas e Bal: nossos queridos homenageados que vieram com tudo e um monte de gente bonita!Tudo verde! Tudo rosa! Muito obrigado por terem nos prestigiado!
Obrigado à Cris, Lúcia Helena, Aureluce, Saci e mais todos os sambistas e músicos que engrossaram o caldo. Tica e Vero que comemoraram primaveras com seus convidados sangue bom e Amélinha que fez pra nós as fotos que vocês verão a seguir.
Desculpem a falta de não alcoolicos numa certa hora. Prometemos que providenciaremos pra não acontecer mais! Porque tava quente hein pessoal?
Olha aí e vê se estamos falando bobagem!














Dia 20 de dezembro rola a última roda "bate o sino" do ano e vem mais gente das boas por aí! Vê se não perde!
aquele abraço que é verde e é rosa.
0
nov
10

Querido amigos que fazem tão especial esse nosso encontro mensal, é com muita honra e satisfação que receberemos em nosso humilde terreiro três personagens Ilustres de nosso Carnaval, NELSON CSIPAI (Sr. Nelson da Mangueira), Vilas Boas e Bal do Bar Mangueira.

Nossos homenageados ( Nelson e Vilas ), juntos com NELSON Dela ROSA e CARLINHOS DAS CAMISAS, compuseram o samba enredo Campeão do Carnaval do Rio de Janeiro de 1998, “Chico Buarque da Mangueira” – Tá bom pra você????

Além do fato do tema central do samba enredo ser simplesmente Chico Buarque de Holanda e, depois de uma verdadeira epopéia envolvendo viagens semanais para o Rio (no ônibus com a batucada da galera de Itaquera, Penha e Ipiranga ) para a eliminatória do samba enredo, um grupo de compositores formados por membros Paulistas venceu uma disputa de samba enredo da Mangueira e ainda, pra encerrar qualquer discussão se Paulista entende ou não de samba (que me desculpe Vinícius, mas falou besteira), sagraram-se os campeões do Carnaval no Rio de Janeiro de 1998, lembrando ainda que a Mangueira estava 11 anos sem ganhar o Carnaval Carioca.

Em toda conversa sobre a conquista, eles sempre ressaltam toda a força recebida pelas comunidades de Itaquera, Penha e Ipiranga e pelos amigos Zé Roberto, Bariri, Wilson Pereira e Nelson Feitosa.

Mais estórias sobre a História...

Nossos homenageados fizeram o primeiro samba enredo para a Mangueira em 1996, mas por motivos burocráticos não puderam sequer escrever o samba para o pleito.

Já no ano de 1997, fizeram um samba que só caiu na semi-final, por motivos alheios a qualidade do mesmo e que não convêm no momento qualquer comentário, até em razão do maior legado deste ano foi o de terem conhecido o nosso amigo e Sambista Convidado da Roda, o Grande Bal!

O Bal ,(que hoje segura a Lira do samba no tradicional Bar Mangueira em SP) junto com a rapaziada da Penha e de Itaquera, ia animando a galera com grandes sambas, de Sampa até o Palácio do Samba sem deixar a batida cair um minuto, entregando a rapaziada em ponto de bala pra soltar o gogó na cadência da Bateria nota 10 da Mangueira - Salve, Salve a Surdo Um!!!!

Em 2002 fizeram a última participação na disputa do samba enredo.

*Um pouquinho de cada um de nossos homenageados:

O Vilas Boas, que já foi Diretor da Imperador do Ipiranga e, tem uma longa história de amor pela nossa querida Estação Primeira.

Todo mês de fevereiro, isso a mais de 20 anos, é figura garantida na Avenida reverenciando o estandarte Verde e Rosa.

Como ele mesmo diz, “Desfilar na Mangueira é cláusula que consta até do meu contrato pré-nupcial”!!!

Sr. Nelson, debutou na Verde e Rosa em 1967 no histórico desfile em homenagem a Monteiro Lobato.

Daí, mais uma razão pra gente comemorar a presença dele em nosso samba, pois esse parceiro e amigo de Luis Carlos da Vila e de tantos outros bambas do samba, completa 43 anos de Mangueira no ano de 2010.

O nosso querido Bal é sambista residente do famoso Bar Mangueira em Sampa e reduto de bambas do samba paulista e carioca. Esse Ilustre cidadão da Penha irá nos brindar com seu talento, simpatia e potente voz.

Vale lembrar ainda que o Bal (junto com seus parceiros de roda) promove um projeto social muito legal chamado “Samba da Maria Zélia” que leva grandes sambas pra toda comunidade da Zona Leste de Sampa.

Nossos mais do que especiais convidados estarão juntos com a rapaziada do Grupo Casa Caiada, cantando e contando todas as belezas do tão famoso Cenário Verde Rosa, exaltado por todos os amantes do samba.

Por isso galera, não percam domingo 15 de novembro a oportunidade de escutar todos os sambas, passagens, estórias engraçadas, que esses amigos tão especiais têm para nos contar!

Salve a Estação mais linda do mundo!!!

Por Thiago de Souza.
0
nov
04

Pois é, já foi setembro
Fim do frio, vêm as flores
E com bons ventos
Amores

Vou homenagear minha Estação
Quase não acredito
Velas pra São Sebastião
Do meu Rio bendito

Rezo, pois fiel Cartólico sou
Para que Deus conserve toda beleza
Deste cenário, como já dito
Criado pela natureza

Alta patente em nosso terreiro
Assim como lá é Sargento
Saudoso dono do cavaquinho
Estendo humilde cumprimento

Com Carlos, outra cachaça
Reverenciando o estandarte
E lhe agradeço, Sinhô
Pela guia em homenagem a Xangô

Padeirinho foi com Mida
Tia Zica com Angenor
Dona Neuma, linda Rosa
A primeira de valor

Jamelão brotou alegre
Da semente preciosa
Entoando com antigos
Maravilhas em Verde e Rosa

Folhas secas ao mundo voaram
Novamente, o sol nascerá
Seu guri foi batizado
Por sambas do Jequitibá

Pois é, será na primavera
Outra Estação surgirá
Em nosso humilde terreiro
Quem viver verá!

POR THIAGO DE SOUZA, PRATA DESTA CASA.


Já marca aí! dia 15 de novembro tem mais!
0